Notícia por Auto Papo – Em pesquisa encomendada pela Anfavea, maioria dos consumidores manifestou a vontade de trocar ou comprar um carro no ano que vem.

Confira também no blog da Engevel Vistorias: Renave (Registro Nacional de Veículos em Estoque) começa a ser implantado no Brasil

Faltam poucos dias para terminar o ano e o mercado de veículos leves e pesados deve crescer entre 9% e 10%, pouco abaixo das previsões de 2019 feitas em janeiro.

No mês passado as vendas caíram 4,4% sobre outubro, mas essa comparação é inadequada por efeito de sazonalidades como o número de dias úteis. A referência que importa são as 12.116 unidades vendidas por dia em novembro.

É o melhor resultado mensal desde dezembro de 2014 e ajudou a diminuir os estoques totais (em concessionárias e fabricantes) de 45 para 41 dias.

O Brasil precisará de mais três ou quatro anos de bons resultados para igualar os números de 2012/2013. Sem esquecer que as referências do passado vieram de incentivos fiscais válidos, mas não por períodos tão longos e mal administrados.

Para em 2023 o mercado voltar às 3,8 milhões de unidades vendidas em 2012 é necessário que a demanda por veículos continue em alta e autossustentável.

Em busca de respostas, a Anfavea divulgou uma pesquisa sobre intenção de compra em 2020. O próximo ano será importante do ponto de vista econômico, pois há indicações de que o crescimento do PIB deve dobrar de 1,2% em 2019 para 2,4% ou até um pouco mais.

Foram 6.727 entrevistas em todo o país agora em novembro, mas sem recortes de localização e renda dos entrevistados.

Do total, 88% afirmaram pretender trocar de carro por um novo ou usado. Entre os que não possuem automóvel a intenção de compra em 2020 atinge 93%, patamar surpreendente. Estes são os principais motivos (mais de um podia ser apontado) para a troca:

  • O carro atual já está velho (35%)
  • Troco o carro de tempos em tempos (34%)
  • Família cresceu e preciso de mais espaço (14%)
  • Vou usar para outras finalidades: aplicativo, táxi, etc (6%)
  • Preciso de um carro menor (4%)
  • Resolvi vender e não quero mais ter carro (1%)
  • Outro motivo (17%)

Nessa pesquisa entre os que consultam anúncios de compra e venda na internet, apenas 1% não quer mais ter carro. Trata-se de um resultado surpreendente para quem acha que possuir um veículo é algo superado ou deixou de empolgar.

Os motivos para não trocar de carro: 38%, situação financeira; 5%, outras formas de mobilidade e 5%, sustentabilidade. Também perguntou por que não comprar um carro: 46%, situação financeira; 18%, outras formas de mobilidade e 10% usa o veículo de parentes e amigos.

A interpretação dos dados demonstra o desejo muito forte de possuir um carro. Entre as ressalvas os entrevistados disseram que andam a pé, de trem, ônibus, metrô, moto e bicicleta, pegam caronas, apelam para carros de aplicativos/táxis ou têm apreço pelo meio ambiente para evitar a compra de um carro.

O balanço final mostra que todas as alternativas não apresentam massa crítica capaz de diminuir muito o interesse de comprar ou trocar de carro.

Fonte original da notícia: Auto Papo

Confira também no blog da Engevel Vistorias: Cor escura da lataria pode influenciar na temperatura do carro?

 

Menu