Texto por Notícias Automotivas Nem sempre é culpa da palheta do limpador. Pedriscos e outros materiais podem aderir à borracha do limpador do parabrisa e assim provocar riscos.

Confira também no blog da Engevel Vistorias: Veja 6 golpes do mercado de carros usados e seminovos

No entanto, quando a palheta já está velha, sua borracha perde rigidez e dobra, deixando a haste metálica riscar o parabrisa também.

Uma das coisas mais ruins em um automóvel é ter a visibilidade frontal prejudicada por riscos no vidro do parabrisa. O lavador do parabrisa não é suficiente para tirar estes riscos do vidro, se ocorrem ainda durante a condução.

Para piorar, mesmo com o carro parado e lavando-o, os mesmos não saem.

Em dias de chuva, os riscos ou manchas de raspagem no parabrisa prejudicam enormemente a visibilidade, ajudando a embaçar.

Eles também reduzem a eficiência do limpador e, dependendo do tamanho do risco, pode vir a rachar o vidro.

O mesmo em relação à condução noturna, onde os reflexos de diferentes tipos de faróis contrários acabam por se intensificar diante de imperfeições no para-brisa.

No entanto, quando a palheta já está velha, sua borracha perde rigidez e dobra, deixando a haste metálica riscar o parabrisa também. Uma das coisas mais ruins em um automóvel é ter a visibilidade frontal prejudicada por riscos no vidro do parabrisa.

O lavador do parabrisa não é suficiente para tirar estes riscos do vidro, se ocorrem ainda durante a condução.

Para piorar, mesmo com o carro parado e lavando-o, os mesmos não saem. Em dias de chuva, os riscos ou manchas de raspagem no parabrisa prejudicam enormemente a visibilidade, ajudando a embaçar.

Eles também reduzem a eficiência do limpador e, dependendo do tamanho do risco, pode vir a rachar o vidro.

O mesmo em relação à condução noturna, onde os reflexos de diferentes tipos de faróis contrários acabam por se intensificar diante de imperfeições no para-brisa.

Tirar risco do parabrisa causado por palheta

Então, como tirar do parabrisa o risco causado por palheta?

Antes de mais nada é preciso ter em mãos os materiais certos para realizar o trabalho em casa mesmo.

Para isso será necessário uma pasta dentífrica (dental mesmo, mas específica, não a comum). Essa pasta custa a partir de R$ 40, mas pode ter preços bem mais elevados, chegando mesmo a R$ 250.

Por isso, é importante pesquisar a opção mais em conta. Outro item que faz parte do material é o bicarbonato de sódio, também facilmente encontrado no mercado e com preços em conta.

Também deve-se ter em mãos um limpa-vidros automotivo, glicerina e óxido de ferro.

Este último custa em torno de R$ 18 e é em vendido na forma de pasta. Panos de limpeza macios, recomenda-se microfibra, bem como recipientes com água.

Limpeza

Para iniciar os trabalhos no parabrisa é preciso começar pela limpeza do risco ou arranhão. Nesse caso, utiliza-se o limpa-vidros, borrifando o produto sobre todo o risco e limpando-o com pano macio.

É bom certificar-se de que toda a sujeira foi removida, já que poeira, fuligem e materiais oleosos, bem como substâncias de origem vegetal, aderem facilmente ao vidro e especialmente em caso de riscos e arranhões.

Quanto mais limpo ficar, melhor será o resultado.

Aplicando a pasta

Após uma boa limpeza do risco no parabrisa, agora é a vez de se usar a pasta dentífrica. Pegue um recipiente seco e mistura a pasta dentífrica com o bicarbonato de sódio.

A mistura é necessária para que o produto possa ser espalhado sobre o risco e tem de ser de forma consistente. Nesse caso, a mistura tem que absorver totalmente o bicarbonato de sódio até não deixar vestígios do mesmo.

Então, com a mistura pronta, espalhe sobre o risco em movimentos circulares até cobrir completamente toda a área afetada. Após isso, aguarde 5 minutos para que a mistura dentífrica-bicarbonato de sódio faça efeito.

Remoção da mistura

Depois dos 5 minutos citados, deve-se remover a mistura do risco do parabrisa. Para isso, use outro pano macio e limpo para fazer essa retirada do material, sempre com movimentos circulares e constantes.

Faça isso até perceber que o risco desapareceu. Caso o risco permaneça ainda, procure repetir os movimentos circulares por mais 15 minutos. É preciso deixar o vidro lustrado nesse processo.

Depois desse processo, utilize novamente o limpa-vidros para deixar a área completamente limpa. Caso o risco ainda persista, faça mais movimentos em círculo para faze-lo sumir.

Tratamento

Faça uma mistura de óxido de ferro com glicerina e água em proporções iguais de uma colher de sopa. Misture bem a solução até ficar homogênea.

Aplique o preparado sobre o risco do parabrisa com movimentos leves e aguarde 5 minutos. Mais uma vez, borrife o local do risco com limpa-vidros e passe um pano macio limpo.

O processo deve ser feito a cada seis meses devido a chance do risco voltar a aparecer. E, acima de tudo, troque os limpadores do parabrisa.

Fonte original do texto: Notícias Automotivas

Confira também no blog da Engevel Vistorias: Pneus Run Flat são mais caros e não podem ser trocados por convencionais

Menu