Se você comprou um carro seminovo em uma loja que não seja de confiança, alguns riscos são muito possíveis. O mais grave é ter adquirido um veículo clonado ou roubado. Caso um desses crimes seja confirmado, o primeiro passo é ir até uma delegacia e registrar um Boletim de Ocorrência. Mas como saber que você foi vítima de um desses crimes? É o que você vai saber a seguir.

Infelizmente, comprar um carro clonado ou roubado é muito comum. De acordo com o site Quatro Rodas, em seu artigo Carro clonado: como prevenir que o seu seja e como fugir de comprar um, em alguns estados como Rio de Janeiro e São Paulo, um veículo é clonado a cada duas horas. 

Por isso, ao se deparar com ofertas tentadoras, se lembre das nossas dicas! Só assim você não fará parte dessa estatística que tanto desafia as autoridades policiais e atrapalha a vida das pessoas.

Vistoria de veículos pode detectar irregularidades 

Uma maneira de saber o histórico do carro é realizando a vistoria de veículos no Detran. Antes de fechar o negócio, o ideal é que o comprador leve o carro até o órgão para a averiguação. Em muitos casos, roubos ou clonagem são detectados durante o procedimento, ao certificar a ilegalidade do veículo.

Quando o carro é clonado, é feita a adulteração do chassi. Assim, enquanto o veículo original está adulterado, um segundo está usando a verdadeira identificação. 

Para que o crime fique ainda mais difícil de ser descoberto, a quadrilha elabora uma documentação ilegal. Dessa forma, o veículo clonado passa a circular com o Certificado de Registro de Licenciamento de Veículos (CRLV) e o Certificado de Registro de Veículos (CRV) falso. 

Dicas para saber se o carro que você comprou é clonado

Fique atento às dicas sobre o que fazer antes de fechar a compra do seu carro. Confira!

  • Acesse o site do Detran: mesmo à distância é possível conferir se a placa bate com a do automóvel
  • Desconfie de preços muito baixos: geralmente carros clonados são de um modelo mais valorizado. Prefira lojas e agências conhecidas e faça uma pesquisa da loja em sites de defesa do consumidor
  • Desconfie de veículos registrados por terceiros: em casos de clonagem, o bandido não coloca o carro em seu nome ou disponibiliza conta de terceiros para receber o valor
  • Peça os originais dos documentos: se tiver a série histórica de CRVLs é mais seguro ainda
  • Não aceite 2ª via: muitos criminosos solicitam segunda via dos documentos para esquentar o carro clonado
  • Analise os vidros: é fácil perceber quando a numeração do chassi que fica nos vidros foi alterada. Quando é clonado, a sequência dos números não fica uniforme e apresenta ondulações ou está fora de foco.
  • Verifique placas e etiquetas: confira se as etiquetas com a identificação do motor batem com as informações do veículo.

O carro foi clonado, o que fazer?

Não perca tempo. Vá a uma delegacia e faça um Boletim de Ocorrência (BO). Com o Laudo do Carro Falso nas mãos, faça a vistoria no Detran e ao reconhecer a clonagem, será determinada a troca de placa. Pronto! Aí você estará protegido de possíveis punições.

Esperamos ter te ajudado a se proteger de possíveis armadilhas na hora da compra do seu carro. Conte conosco para mais informações! 

Menu