As películas para vidros de carro, conhecidas popularmente como “insulfilm” (que, na verdade, é o nome de apenas um dos fabricantes desse tipo de produto), são bastante procuradas pelo consumidor brasileiro: controlam a entrada de raios do sol, reduzem a temperatura interna do veículo e representam até um reforço contra vandalismo.

Também ajudam a “esconder” quem está ao volante, algo que acaba ganhando relevância em um país tomado pela insegurança. Não é à toa que muitos concessionários oferecem o item como “brinde” nas negociações, o que leva muita gente a sair da loja dirigindo um automóvel “zerinho” já com os vidros envelopados.

Mas, afinal, o que a legislação brasileira diz sobre a prática? Qual o método mais seguro para se colocar uma película? É possível realizar o processo em casa? Veja:

O que pode (ou não)

+Os vidros dos carros não podem ter transparência inferior a: 75% no para-brisa; 70% nos laterais dianteiros; 28% nos laterais traseiros e traseiros.

+Desrespeitar a legislação é considerada infração grave, com aplicação de multa de R$ 195,23 e cinco pontos na CNH (carteira de habilitação), além de possível retenção do veículo para regularização.

+O CTB (Código de Trânsito Brasileiro) também não permite a utilização de películas refletivas,

+Para regularizar a situação do veículo não tem jeito: é preciso remover a película antiga e aplicar uma nova, dentro dos parâmetros legais. A boa notícia é que não é preciso esperar para trocar uma pela outra.

+Recomenda-se realizar o serviço em local especializado, com ajuda de especialistas, devido à complexidade do processo.

Confira mais detalhes no vídeo abaixo:

FONTE: https://carros.uol.com.br/noticias/redacao/2017/09/13/quer-colocar-pelicula-no-vidro-do-carro-veja-o-que-pode-e-o-que-e-proibido.htm

1 Comentário. Deixe novo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu