Blog Notícias Automotivas – Após ligar o carro, você nota que sai uma fumaça branca do escapamento. O fato pode ou não ser preocupante. Neste artigo, você saberá se isso pode acarretar em enorme problema ou se é somente algo normal. O sistema de escape geralmente é um termômetro para saber se o carro está ou não tendo algum tipo de problema, apenas com a cor da fumaça que sai pelo cano de descarga.

Confira também no blog da Engevel Vistorias: Saiba como não ser enganado ao comprar um carro usado

Durante manhãs frias, a condensação presente no sistema de escape é vaporizada após a partida do motor. Dessa forma, o aquecimento das partículas de água, acumuladas pela baixa temperatura ambiente e umidade do local, serão eliminadas pelo escapamento na forma de uma fumaça branca.

Nesse caso, não há motivo para preocupação, uma vez que isso é normal e ocorre com frequência. Essa fumaça branca rapidamente irá se dissipar após o fim da condensação no escape e a descarga de poluentes deverá ser invisível ao olho nu. Essa é a forma como o escape deverá estar emitindo CO2 e particulados na atmosfera.

Porém, se a fumaça branca continuar, então, nesse caso, há problema com o motor. E isso pode acarretar em um enorme prejuízo para o dono do carro. Então, a partir de agora, saberemos quais são as causas e a solução para resolver esse problema.

Fumaça branca saindo do escapamento, o que é?

Mesmo após o breve período onde geralmente ocorre uma condensação, o escape do veículo continuar a emitir fumaça branca, o fato precisa ser encarado com seriedade, pois um problema grave está acontecendo com o motor. O motivo principal para que essa cor de fumaça esteja saindo pelo cano de descarga é o líquido de arrefecimento.

Água do radiador? Sim, isso mesmo! O líquido de refrigeração não pode entrar em contato com o processo de combustão no motor, sendo que sua função é manter as temperaturas em níveis adequados de funcionamento, circulando entre bloco, cabeçote e outras partes do propulsor, dependendo do tipo.

Nesse caso da fumaça branca, este líquido está sendo vaporizado dentro da câmara de combustão, o que imediatamente acarreta em perda de volume, já que o sistema é selado em muitos modelos de automóveis ou possui um sistema de expansão que permite a perda de certo volume.

Por isso, uma dica é observar o nível da água do motor. Nesse caso da fumaça branca persistente, o volume naturalmente irá baixar, pois a água está sendo consumida pelo processo de combustão. O problema é que isso pode ser ampliado se não for resolvido a tempo, podendo até ocorrer a fundição do motor por falta de líquido de refrigeração.

Causas

Se a fumaça branca é persistente, em algum lugar a água do radiador está sendo consumida pela combustão. Existem pelo menos três causas para que isso esteja acontecendo no veículo e, para cada uma, felizmente existe solução, apesar de que isso irá gerar um custo considerável em reparação para o proprietário.

Junta de cabeçote

A primeira coisa que vem a mente quando se fala em fumaça branca saindo do escapamento é a junta de cabeçote. Trata-se de uma vedação de compressão, água e óleo colocada entre bloco e cabeçote. Quando ela é queimada, rompida ou trincada, geralmente acaba permitindo a contaminação da câmara de combustão com água ou óleo.

A entrada de água gera a fumaça branca, geralmente com odor adocicado. Então, em um dos pontos dessa junta, onde a água circula entre cabeçote e o bloco, existe um dano que permite a passagem da água. Neste caso, o vazamento está indo para a câmara de combustão, mas bem poderia contaminar o duto de lubrificação do cabeçote, o que acarreta em outro problema, tratado em tópico específico.

A solução só existe uma, trocar a junta de cabeçote. O item em si é bem barato, mas o serviço é muito caro e valores variando de acordo com o mecânico. É aquilo, o proprietário terá que avaliar se vale ou não a pena fazer o serviço e onde tem um preço justo por um trabalho bem feito. Infelizmente, no mercado, cada um cobra o que quer.

Se o carro já vem aquecendo acima do normal, pode ser que outras avarias tenham ocorrido no motor por causa desse rompimento da junta. Identificar o local de vazamento é fácil quando se vê a junta. Após a desmontagem, se o mecânico avaliar que é necessário simplesmente planar a superfície do mesmo para evitar futuros vazamentos, faça o serviço. Isso evita o empenamento do mesmo e possível novo vazamento na junta.

Cabeçote

E se a junta não estiver queimada? Isso pode ocorrer! Nesse caso, a retirada do cabeçote resultará em uma retífica. Por que? É importante saber se a parte superior do motor possui algum vazamento nas galerias de água que existem ali. Embora geralmente seja de alumínio, isso não impede que haja vazamentos, permitindo o acesso da água à câmara.

Assim, na retífica, existe um teste de pressão com um líquido específico para identificar um possível vazamento interno. A pressão tem de estar adequada no teste e se houver um escape de água, o líquido irá marcar o local do vazamento e a pressão cair. Dependendo do local, será necessário uma solda e retífica da superfície.

Bloco do motor

Da mesma forma que o cabeçote, o bloco do motor pode também apresenta trincas ou galerias de refrigeração danificadas pela corrosão, permitindo que a água atinja a câmara de combustão e seja consumida. A solução geralmente é a retífica do motor, mas dependendo do dano, pode não valer a pena, pois o serviço hoje em dia é extremamente caro e impraticável em muitos casos.

Outros tipos de fumaça

Se a fumaça que sai do escape pender mais para um tom de cinza esbranquiçado ou se a mesma forma azulada ou escura, isso pode significar uma contaminação por óleo na câmara de combustão. Existem outras causas para isto estar acontecendo e felizmente aqui você saberá também quais são as causas e como resolve-las nesta interessante matéria sobre motor queimando óleo, já publicada aqui no NA.

Fotos: Blog Notícias Automotivas

Fonte original do texto – Blog Notícias Automotivas – https://www.noticiasautomotivas.com.br/fumaca-branca-saindo-do-escapamento-o-que-e/

Confira também no blog da Engevel Vistorias: Test-drive: um checklist para você não se esquecer de nada

Menu