Respeitar as regras do trânsito e fazer uma revisão veicular regularmente, para estar sempre em ordem com a manutenção, são práticas fundamentais para evitar acidentes. Além disso, é importante contar com um veículo equipado com os principais recursos de segurança, o que também ajuda a reduzir os danos, caso haja uma colisão.

Vários desses recursos, aliás, são obrigatórios e exigem atenção ou manutenção. Apesar de, em alguns casos, o motorista mais irresponsável teimar em não usá-los. Você sabe o que diz a lei e como reduzir o risco de se envolver em um acidente? A seguir, listamos alguns itens que devem estar presentes em todos os carros. E, mais do que isso: que devem ser usados e estar sempre bem conservados. 

Pneus

É claro que todos os carros têm pneus, mas isso não basta. É preciso fazer uma inspeção, de tempos em tempos, para saber se eles estão em ordem. Para evitar o risco de um acidente ou de ser multado, caso seja parado por um agente de trânsito, o motorista deve sempre ficar atento ao TWI.

Para quem nunca ouviu falar nele, trata-se de uma pequena “listra” de borracha, que pode ser observada entre os sulcos do pneu. Eles servem para escoar a água em um dia de chuva. Quando o pneu está desgastado a ponto de o TWI começar a ter contato com o chão, chegou a hora de fazer a troca.

Airbag

Um carro de luxo chega a ter mais de 10 airbags na frente, nas laterais, no teto e até nos bancos. A maior parte é opcional e, obviamente, torna o veículo mais seguro. E por mais que se trate de um item fundamental para amortecer impactos e salvar vidas, há pouco tempo boa parte dos carros não contava com esse recurso.

Até que, em 2014, uma lei determinou que todos os modelos vendidos e fabricados no Brasil passassem a contar com pelo menos dois airbags frontais. Um, normalmente, fica dentro do volante para proteger o motorista. O outro em cima do porta-luvas, para proteger o passageiro. Se quiser entender mais sobre a importância e o funcionamento do airbag, clique aqui.

Cinto de segurança

Esse é um daqueles casos nos quais não basta contar com o item de segurança no carro, é preciso usá-lo. A obrigação de equipar os veículos com o cinto de segurança existe desde os anos 1960. Mas, durante três décadas, ele era pouco utilizado. Só nos anos de 1990, o uso se tornou obrigatório, por mais que ele ainda não seja usado por alguns motoristas e, principalmente, por boa parte de quem anda no banco de trás.

Se você é uma dessas pessoas, saiba que estudos mostram que o uso do cinto pode reduzir o risco de morte, no caso de um acidente, praticamente pela metade.

Luzes

Assim como os pneus, elas devem ser sempre alvo de uma inspeção, por parte do motorista. E também são um ponto de atenção na hora de fazer a vistoria de um veículo. Pisca-alerta, faróis dianteiros e traseiros, seta e as luzes de freio e de ré precisam funcionar perfeitamente para que seu veículo seja visto pelos mais e para que você consiga dirigir por segurança à noite. 

Sem falar que o mau funcionamento de alguma luz do veículo pode gerar multa.

Encosto de cabeça

Está aí um item que não serve apenas para descansar a cabeça. Muita gente não sabe, mas também se trata de um equipamento de segurança. No caso de uma batida, ele impede que a cabeça dos ocupantes seja jogada para trás, no chamado movimento de “chicote”, que pode causar lesões graves na coluna e no pescoço.

Durante um tempo, ele foi obrigatório apenas nos bancos da frente. Mas, hoje, precisa estar presente em todos os assentos.

Freios

Para manter o bom funcionamento do freio, também é importante fazer uma inspeção com frequência para acompanhar o desgaste das pastilhas e dos discos. Além, é claro, de seguir o prazo recomendado para a troca do fluído.

E se você tiver um carro fabricado de 2014 para cá, você provavelmente está mais seguro – o que não significa que é permitido descuidar da manutenção. Isso porque, naquele ano, o freio ABS passou a ser obrigatório. Esse sistema eletrônico antitravamento das rodas controla a pressão dos freios para evitar derrapagens.

Limpador de pára-brisa

Fundamental nos dias de chuva, ele também merece uma atenção especial. Principalmente, depois de muito tempo de clima seco, as paletas de borracha podem ressecar. Aí, quando vier a chuva, você corre o risco de descobrir, da pior maneira possível e sem enxergar nada no meio de uma tempestade, que elas praticamente não funcionam mais como deveriam. Sem falar nos riscos de a paleta riscar o vidro.

Por fim, agora que você já entendeu que esses itens são fundamentais, vale reforçar a dica: faça inspeções e a vistoria veicular regularmente e em em oficinas credenciadas pelo Detran. Isso é fundamental para garantir que os itens de segurança estejam sempre em ordem e que você esteja protegido de acidentes e multas.

Menu