Abastecer o carro com combustível adulterado é um dos maiores medos de todo motorista. Primeiro porque ele rende menos no tanque, o que por si só já representa um prejuízo. Segundo porque ele pode causar uma série de danos que, além de te deixarem a pé, no meio da rua, te farão gastar mais dinheiro.

Em tempos de combustível caro, a situação piora. Seja porque o dono do posto pode ficar mais tentado a cometer uma fraude para lucrar mais, seja porque o motorista troca aquele posto de confiança por outro mais barato. 

E, por mais que pagar caro não seja garantia de que o combustível é bom, pagar muito mais barato aumenta bastante a chance de aquele produto ter sido fraudado. Nesse caso, é sempre bom desconfiar de preços atrativos demais.

Riscos de usar combustível adulterado

A lista de problemas que podem ser causados por combustível adulterado é grande. Mas vale destacar que ele gera resíduos que ficam acumulados no sistema de abastecimento e podem causar entupimentos. Sem falar que ingredientes fora do padrão também podem corroer as vedações e causar vazamentos.

Itens como injeção eletrônica, velas, catalisador, pistões, bicos podem ser danificados. E, em casos extremos, o produto misturado ao combustível não queima, escorre pelos cilindros e pode até fundir o motor. 

Como saber se abasteceram com combustível adulterado?

A boa notícia sobre esse tema é que o carro dá sinais de que há algo errado com o combustível. Por isso, é importante ficar atento a algumas questões:

  • Aumento do consumo. Percebeu que encheu o tanque, manteve a rotina e o carro rodou bem menos do que você está acostumado? Possivelmente, o combustível foi fraudado. Também vale ficar atento a uma possível perda de potência, quando você acelera e o carro não responde como deveria;
  • Engasgadas. O carro está com a manutenção em ordem e começou a “tossir”? Pode ser outro indicativo de que há algo errado com o combustível;
  • Luz do motor. Caso ele se acenda no painel, é preciso ficar preocupado. É claro que o problema pode ser outro. Mas a possibilidade de combustível ruim não deve ser descartada e vale buscar uma oficina o quanto antes para uma inspeção;
  • Óleo sujo. Quando for fazer a troca de óleo, fique atento ao resíduo retirado do motor. Se ele estiver contaminado por impurezas, pode ser por conta de resíduos impróprios que escorreram do combustível adulterado.

Por fim, caso você identifique algum tipo de problema, a primeira coisa a fazer é não abastecer mais naquele posto. Mas não é só isso. Mesmo depois de esvaziar o tanque e reabastecer, as impurezas podem permanecer. Por isso, vale procurar uma oficina de confiança para uma revisão veicular. E, se você acabou de encher o tanque e percebeu algo errado, não espere o combustível acabar. Procure uma oficina para uma perícia e evite um prejuízo grande no futuro.

Menu