Que o brasileiro é apaixonado por carro, disso ninguém duvida. Muita gente lava o veículo todo sábado, encera e deixa a lataria brilhando para curtir o fim de semana e começar bem a segunda-feira. Mas saiba que cuidar do carro vai além de mantê-lo sempre limpo e bonito. Dar atenção às partes mecânica e estrutural também é fundamental.

Um carro com a manutenção em ordem traz uma série de benefícios. O primeiro, é claro, é o aumento da segurança para o condutor e os passageiros. Além disso, um veículo bem cuidado, com todos os comprovantes de revisões ou das peças que foram trocadas, vale mais na hora da revenda. Sem falar, então, que a manutenção preventiva normalmente custa menos que um conserto. Por isso, separamos algumas dicas simples, mas que ajudarão, e muito, a manter seu carro em ordem.

Não perca os prazos

O manual do carro sempre traz informações detalhadas sobre algumas manutenções de rotina. A principal delas é a troca de óleo, que deve ser feita sempre depois de um determinado período ou de uma quilometragem pré-definida. Por exemplo: “trocar o óleo a cada 10.000 quilômetros ou um ano, o que acontecer primeiro”. Seguir essas recomendações é fundamental.

Ainda no caso do óleo, pode acontecer de o motorista, depois de um ano, ter rodado apenas 7.000 quilômetros e achar que por isso não precisa fazer a troca. Mas você nunca deve fazer isso! Como qualquer produto, o óleo tem prazo de validade. Depois disso, ele deixa de cumprir a função de lubrificante, o que pode até fundir o motor do carro. As mesmas recomendações valem para outros itens que devem ser trocados com mais frequência, como filtro de óleo e filtro de ar.

Olho nos pneus

Um pneu é uma das peças mais caras de um carro. Custam a partir de R$300 cada um. Além disso, é um dos itens que mais impactam na segurança de quem está dentro. Por isso, merece uma atenção mais que especial. Faça a calibragem pelo menos uma vez por semana, com base no que pede o manual. Isso diminui as chances de ele estourar e preserva a cinta de metal que fica por dentro da borracha, o que aumenta a durabilidade.

Além disso, não deixe de fazer o alinhamento, o balanceamento e o rodízio pelo menos um vez por ano – ou menos, caso o veículo rode grandes quilometragens. Isso vai garantir mais estabilidade e que os quatro pneus tenham um mesmo nível de desgaste, o que também preserva a vida útil e ajuda a evitar acidentes.

Não esqueça que rodar com o pneu careca é um perigo. Observe sempre a marca no sulco de cada pneu que indica o nível de desgaste e não deixe de fazer a troca quando ela for atingida.

Faça revisões de rotina

A revisão veicular pode ser feita em uma concessionária ou em uma oficina especializada credenciada pelo Detran. Mas existem outras práticas que não podem ser descartadas e que ajudam bastante. Tenha o hábito de, pelo menos, uma vez por semana fazer, você mesmo, uma inspeção em itens básicos, como os níveis de óleo, água e fluído de freio.

Os problemas de não fazer a troca de óleo já foram explicados. Mas, no caso dos freios, eles perdem a eficiência. E não repor a água do reservatório também é um erro grave, uma vez que é ela que evita que o carro esquente demais e tenha uma série de problemas. Também não se deve colocar mais água que o limite máximo do reservatório. E, se perceber que o nível diminui muito rapidamente, o proprietário deve procurar uma oficina.

Cuidado na hora de abastecer

O combustível tem prazo de validade. A gasolina, por exemplo, depois de um mês parada no tanque começa a perder eficiência e a criar uma série de impurezas que podem ser nocivas para o carro. Por isso, se você não roda muito com o veículo, coloque sempre uma quantidade de combustível suficiente para, no máximo, duas semanas.

Se você tem carro flex, não use apenas o etanol, que é mais barato. Ele contém substâncias que, com o tempo, formam uma espécie de gelatina que pode entupir as tubulações. Por isso, coloque um pouco de gasolina pelo menos a cada três meses.

Na hora de encher o tanque, peça ao frentista para parar assim que a bomba fizer aquele “estalo”. Passar desse limite pode fazer com que o combustível invada a área da válvula que filtra os gases que surgem no tante e cause vários danos.

Ouça quem entende do assunto

Se houver qualquer problema, não tente resolver sozinho, principalmente se você não tiver conhecimento sobre o assunto. Procure uma oficina de confiança. Nela, com os equipamentos adequados, um profissional poderá fazer uma ampla vistoria veicular, uma perícia completa e fornecer um laudo com as informações sobre o problema e as formas de resolvê-lo.

Com isso, você tem a certeza de que encontrou o problema, evita cair na conversa de um mecânico mal intencionado, economiza dinheiro e passa a ter certeza de que o problema foi resolvido. Assim, pode rodar mais tranquilo, a vida útil do carro aumenta e você ainda terá um veículo mais valorizado na hora de vendê-lo.

Menu